CASOS COMPLEXOS - ADOLESCENTES, ADULTOS
TRATAMENTO PERSONALIZADO - DA INTERNAÇÃO A RECUPERAÇÃO
CONTATO: (11) 3062-9516 - (11) 3062-2485 - (11) 5084-3041 - E-mail: alamedas@clinicalamedas.com.br
Médico Resp. Dr. Ronaldo Laranjeira - CRM - 44.625
VOLTAR
O Impacto da Legalização das drogas
A Clínica Alamedas participou e apoiou um dos maiores eventos do ano no Palácio dos Bandeirantes dia 23/08/2014
 
“ O Impacto da Legalização das drogas”
 
A Clínica Alamedas participou e apoiou um dos maiores 
eventos do ano no Palácio dos Bandeirantes dia 23/08/2014, em 
São Paulo, relacionado à política sobre drogas: “O impacto da 
Legalização das drogas”  que contou com a presença do norte-
americano Kevin Sabet e foi organizado pela Associação Paulista para o
Desenvolvimento da Medicina (SPDM), presidida pelo psiquiatra Prof Dr
Ronaldo Laranjeira.
 
Kevin Sabet é considerado um dos maiores especialistas na 
atualidade em políticas de drogas. É Ph.D. e Mestre em Política
Social pela Universidade de Oxford e graduado em Ciência Política
pela Universidade da Califórnia. Em seus trabalhos, costuma
pontuar que “a legalização é uma solução simplista para um
problema complicado”, analisando, por exemplo, o impacto social
de drogas legais. Segundo o especialista, nos Estados Unidos o
álcool é responsável por mais de 2,6 milhões de prisões por ano -
quase 1 milhão de prisões a mais do que as provocadas por drogas
ilegais naquele país.
 
 
Por sua atuação na área, tornou-se referência mundial em
prevenção baseada em evidências e impactos da legalização,
contribuindo regularmente com diversos veículos de comunicação,
incluindo New York Times e CNN.
 
Com mais de 18 anos de atuação em política de drogas, o
sociólogo Kevin Sabet é diretor do Instituto de Política de Drogas e
professor-assistente no Departamento de Psiquiatria da
Universidade da Flórida. Além disso, é Conselheiro Sênior do
Instituto de Pesquisa de Crimes e Justiça das Nações Unidas, com
sede na Itália, e de diversas organizações governamentais e não
governamentais.
 
 
Por assumir um compromisso não partidário contra as drogas,
Kevin é o único integrante do Escritório de Política Nacional de
Controle às Drogas a trabalhar em 3 administrações distintas, nos
governos Clinton, Bush e Obama, no qual atuou como Conselheiro
Sênior da Casa Branca entre 2009 e 2011. Dr. Sabet é também
cofundador do Projeto SAM – Smart Approaches to Marijuana
 
Segundo Kevin em Matéria publicada no Jornal “Estado de são Paulo”, legalizar a 
maconha não acabaria com o tráfico, aumentaria o número de usuários e 
criaria uma indústria milionária com foco nos consumidores jovens, como a do 
tabaco. Kevin ressalta que a maconha tem efeitos nocivos à saúde que são 
mal compreendidos pela sociedade porque demoram a se manifestar. “Outro 
fator que afasta do público o conhecimento que a ciência tem sobre os efeitos 
deletérios da maconha é uma campanha milionária financiada por lobistas que 
estão interessados na legalização”, disse. De acordo com ele, a legalizar a 
venda não iria destruir o tráfico. “Os traficantes continuariam vendendo mais 
barato”, afirmou.
 
O sociólogo afirmou que a liberação da maconha faria explodir o número de 
usuários. “Uma droga legal como o tabaco é usada por 16% da população no 
Brasil e 25% nos Estados Unidos. Quando uma droga é normalizada, mais 
pessoas usam. Será que queremos legalizar uma substância como a maconha 
que hoje é utilizada só por 2% dos brasileiros e 8% dos norte-americanos”, 
questionou. “Quando uma droga é legalizada, ela se torna cultuada pelos 
jovens como uma porta de entrada na vida adulta, como acontece com o 
cigarro e o álcool”, declarou Sabet.
 
De acordo com Sabet, a liberação da venda legal da maconha no estado do 
Colorado gerou uma indústria milionária que se dedica à promoção do vício. 
“As empresas do lobby pró-maconha só estão preocupadas com dinheiro. Eles 
querem legalizar para faturar. Como a indústria do álcool e do tabaco, essas 
empresas não vão faturar com o usuário casual. Elas querem incentivar o uso 
pesado”, afirmou. Segundo ele, nos Estados Unidos, 80% da bebida alcoólica 
vendida é consumida por 20% dos usuários de álcool. “O melhor alvo para 
essa indústria são as crianças. Eles farão embalagens atraentes e utilizarão as 
mesmas estratégias de marketing desenvolvidas pela indústria do tabaco. No 
Colorado, temos uma preocupante intersecção da indústria da maconha com a 
bolsa de valores”, disse.
 
Para Sabet, o uso da maconha aumenta os níveis de dependência de uma 
população aos programas sociais, faz crescer o desemprego, diminui os níveis 
de renda e escolaridade. “O uso da maconha também é um fator de risco 
importante para distúrbios mentais. Isso não acontece, por exemplo, com o 
tabaco, o álcool e a cocaína” declarou. “Além disso, a maconha transgênica 
produzida hoje é de 10 a 20 vezes mais forte que a produzida nos anos 70. 
Isso leva a quadros de psicose e pânico”, afirmou.
 
 
Sabet declarou também que há indícios de que a maconha diminui o QI dos 
usuários. Ele citou um estudo feito com mil usuários que fumavam maconha 
mais de três vezes por semana da adolescência aos 38 anos. “Os resultados 
mostraram que eles tiveram uma redução considerável no QI, de 6 a 8 pontos. 
Essa é a diferença entre conseguir ou não o emprego que se quer”, disse ele.
 
Para assistir a palestra na sua integra acesse o link abaixo
 
http://www.spdm.org.br/saude/galeria-de-videos/item/1070-palestra-sobre-o-impacto-da-legalizacao-das-drogas-kevin-sabet?utm_source=akna&utm_medium=email&utm_campaign=Palestra+Pos+Publico+02
 
Links Sugeridos

Entre em Contato

Email alamedas@clinicalamedas.com.br

Fones
(11) 3062.9516
(11) 3062.2485
(11) 5084.3041

Nossa Localização

Endereço
Alameda Canuri, 97 - Planalto Paulista
São Paulo - SP - CEP 04061-030

Mapa de Localização

Alamedas DayClinic
HospDia
Atendimento
Individualizado
Serviços
Disponibilizados
Profissionais Psiquiatras Canal Exclusivo
Estrutura de Apoio
Psicólogos Canal Exclusivo
Estrutura de Apoio
Nosso Espaço Orientação
Familiar